Sobre objetivos, planejamento e manifestação – como Eu faço (Parte 2)

Amor Meu,

 

No post anterior eu compartilhei com você sobre algumas das minhas inspirações na arte do planejar e executar. Recomendo fortemente que você leia o post anterior (clique AQUI).

 

É importante reforçar que eu acredito que existem momentos na vida da gente em que não estamos na vibe de traçar objetivos ou planejar, assim como existem momentos em que queremos ter essa postura e tirar dela o máximo de proveito possível. Eu quero te dizer também, que de nada adianta ficar obcecada por um objetivo ou plano, entenda: a ideia não é se prender a um planejamento e um plano, e executar não é o fim: é o meio. E quem vai decidir se é seu momento de planejar, o que planejar e como faze-lo? VOCÊ! Isso mesmo! Estes posts são para te inspirar, assim como Michael e Danielle me inspiram também, ok? Com isso você vai pegar o que te serve aqui e vai dispensar o restante.

 


Um grande passo para realmente Planejar com Propósito é o autoconhecimento, e para isso, se ainda não baixou e leu, o Workbook Autoconhecimento (clique AQUI para baixar sua cópia gratuita) é uma excelente ferramenta de apoio. Para alinhar com a essência e seu propósito no seu processo, o eBook A Musa em Ação (clique AQUI para baixar sua cópia gratuita) é outra poderosa ferramenta. Ambos são gratuitos e você pode adquirir sua cópia apenas acessando os links e baixando. Essas ferramentas são valiosas porque, com mais clareza, você poderá planejar com mais propósito e de forma alinhada com a sua essência. 


 

Dando continuidade, hoje compartilharei com você um pouco sobre o meu processo pessoal. 

 

Meu hábito de planejar certinho como faço hoje é um processo que se iniciou em 2016. O que me animou a comprar um planner e me organizar foi quando vi no Instagram o Desire Map Planner , da Danielle Laporte. Eu utilizei o DMP em 2016 e 2017. Em 2018 eu mudei para o Happy Planner  da Me and My Big Ideas.  

 

 

Definindo Objetivos alinhados com o seu Propósito

 Objetivos, na minha visão, são sonhos que ganharam forma e estrutura. Sonhos são importantes, pensar positivo sobre algo, almejar. E eles se tornam objetivos quando tempo clareza do que queremos e partimos para um plano de... AÇÃO! ManifestACTION (ManifestAÇÃO) é o termo que adotei para este processo.  

 


Para quem escolhe o estilo de vida espiritual, traçar objetivos e planos de ação pode parecer muito confuso. “Mas e o confiar no Universo?” “E o deixar fluir e o que tiver que ser será, já que sempre acontece o que for melhor para a gente?” “Mas isso não é querer controlar os acontecimentos?” “Mas e... Mas e... Mas e...” Eu também já refleti muito sobre isso e cheguei a uma conclusão que me serve (pode ser que sirva a você também e, neste caso, sinta-se a vontade para adota-la; caso não sirva para você, simplesmente descarte).

 


Eu penso que estou aqui por um motivo, e esse motivo é para crescer através da experiência humana, é ir além de toda a ilusão de que isso aqui é tudo que há e aproveitar tudo como oportunidade. Isso me ajuda a despertar do transe quando algo realmente sai dos trilhos, “Isso não é o fim, é só o meio” (meio como meio do processo e como ferramenta). Então eu penso na importância de me recolher à minha pequenez frente à Inteligência Universal, e te digo: se uma vontade tiver que prevalecer, que seja sempre a dela. Mas também me identifico com a divindade de cada um de nós, pelo fato de sermos parte desse Todo, dessa Inteligência, dessa Divindade. Eu penso que se fosse só para nos sentarmos e recebermos o que o Universo nos manda, para sermos apenas recebedoras, onde estaria nossa habilidade de compartilhar, de sermos proativas e de manifestarmos; habilidades que possuímos porque somos parte de um Todo que possui essas habilidades. 

 

Então eu penso que, mais uma vez, o nosso desafio é o caminho do meio: saber entender e entregar o que foge do nosso controle e saber ter objetivos e ir para a manifestACTION. Não somos Criadoras, mas também não somos mero efeito: somos Co-Criadoras.

 

Mas e se você planejar, correr atrás e não acontecer como você esperava? Nesse caso, será que não traçar objetivos e planos de ação não economizaria frustração? O fato é que nossa habilidade de saber das coisas é muito limitada. Temos momentos de clareza, flashes de luz sim, momentos em que tocamos, ainda que por um segundo, os 99%. Aí estão o Amor, a felicidade, a certeza absoluta, a intuição salta aos nossos sentidos. Mas em geral nós nos propusemos a viver uma experiência humana e aqui tudo é desenhado para que cumpramos essa Vontade da Alma. E, com isso, muitas vezes vamos batalhar e manifestar o que tanto queremos, mas muitas vezes... não! Os motivos são muitos mas, em geral, o que queremos pode não ser a totalidade de tudo que nos espera. É nessa hora que entra nossa habilidade de sermos flexíveis e entendermos que existe uma figura completa. Não quer dizer que não fiquemos chateadas, mas saber lidar com a frustração é parte do pacote da responsabilidade que nos permite acessarmos o mérito da liberdade. As vezes penso o quanto somos infantis e como lidamos mal com as frustrações. “Ah, se não aconteceu como eu queria ou quando eu queria não faz sentido, é tudo bobagem!” Nós queremos o que queremos e queremos agora! Por isso saber definir objetivos, traçar planos e correr atrás é parte do processo de saber ser “espiritualmente adulto”. 

 


 

Planejando com Propósito

Então, muito mais do que simplesmente estabelecer objetivos vazios, pergunte-se no que esse objetivo ajudará no seu propósito de ser hoje melhor do que ontem, de ser canal de Luz, de revelar Luz neste mundo. Como esse objetivo te ajudará a se sentir mais alinhada com esse propósito e, assim, com a sua essência? E mega importante: como o processo diário para chegar lá alinha com sua essência? Muitas vezes alcançamos um objetivo e não gostamos do objetivo alcançado, ou não gostamos da pessoa que tivemos que nos tornar para chegar lá. Uma frase que amo do meu querido mentor Tony Robbins e que resume isso tudo de maneira brilhante é a seguinte:

 


“O propósito do objetivo não é alcança-lo, o proposito do objetivo é quem nos tornamos para alcança-lo. O que conseguimos não nos faz mais felizes: a pessoa que nos tornamos sim.” 

(Tony Robbins)

 


Então, quando for definir seus objetivos, tenha essa clareza. Pergunte-se:

Que tipo de vida quero levar?
Para que quero isso?
Quem leva esse tipo de vida?
O que tenho que fazer para ter esse tipo de vida?
Como farei isso?

 

Observe que os passos acima levam em consideração o famoso Ser – Fazer – Ter. Para saber mais sobre isso, assista ao vídeo Ser, Fazer, Ter. 

 

Objetivos traçados, entenda, não adianta você colocar na sua listinha: “Emagrecer. Ganhar mais dinheiro. Ser promovida. Ter mais amigos. Fazer faculdade. Passar no concurso.” Isso acaba se tornando avassalador, o objetivo acaba te engolindo, ele é grande demais e, neste caso, não praticável. O objetivo, como Michael Hyatt ensina, deve ter certas características que já compartilhei no post anterior (clique AQUI para ler). 

 

IMPORTANTE: cuidado para não transformar seus objetivos numa TO DO LIST. Objetivos são algo maior, com importância e significado, eles se complementam e fazem seu coração cantar / seus olhos brilharem / as borboletas rodopiarem no seu estômago. TO DO LIST é uma lista de afazeres e, em ultima análise, uma lista de afazeres diários divididos em 2 grupos: 1. Coisas que você faz para manter a vida em ordem (lavar roupa, fazer compras no mercado, por exemplo) e 2. Coisas que você vai fazer diariamente para alcançar seus objetivos. 

 


Tendo isso em mente, aqui vão algumas dicas do que funciona para mim:

 

ATENÇÃO: usarei como exemplo de objetivo algo bem geral e direto como Emagrecer 10kg até o dia 6 de junho de 2018, para mero efeito de ilustração.

 


Defina seu plano de ação

Como você fará para alcançar esse objetivo? Comece a listar o que você fará diariamente para chegar lá, por exemplo: ir na na academia 3x por semana, substituir o chocolate ao leite pelo 90%, cortar o fast food, e por a vai. 

 


Coloque no Planner

Se não estiver no seu planner (ou agenda), você não fará, então distribua essas ações no seu planner e tenha certeza de olhar para elas todos os dias.

IMPORTANTE: revise seus objetivos de forma geral e inspiracional diariamente e e forma profunda e estratégica mensalmente (O que funcionou? O que não funcionou? O que posso fazer diferente?)


Trackeie sua evolução

Você pode fazer um tracker da seguinte forma: pegue uma folha de papel e anote os quilos que você quer emagrecer. Defina pequenos objetivos no meio do processo, ou seja, de 5 em 5kg e COMEMORE quando alcançar esses marcos. O processo acaba ficando muito pesado, cansativo e pode desmotivar se você não celebrar os pequenos avanços (lembre que o grande avanço é uma somatória de pequenos avanços). Se você cumprir, coloque um OK, se não cumprir, coloque um X, mas coloque: dessa forma você entenderá porque está alcançando – ou não – o seu objetivo e os padrões que têm te impedido de chegar lá. Isso te dá clareza.

 


 

O que NÃO FUNCIONOU para mim

 

Bullet Journal

Tudo pode mudar e pode ser que isso mude no ano que vem também, mas algo que não funcionou para mim foi o sistema de bullet journal.  Esse é um sistema totalmente customizável que consiste em você pegar um caderno qualquer (ainda que os pontilhados e quadriculados pareçam se adaptar melhor ao sistema) e escrever manualmente calendários, listas, layout da semana, etc. Além disso é usado um sistema de códigos (tipo bolinha, setinha, etc) que permitirá saber se essa tarefa foi cumprida, adiada, cancelada, passara para outro dia, etc... O ponto positivo é que você pode fazer o que quiser e, em tese, não perde papel, porque vai seguindo seu ritmo. Para mim não funciona porque não gosto do tempo que perco tendo de fazer tudo e não acho isso divertido, prefiro as páginas prontas. Por este motivo também não gosto dos planner sem data cujas datas tenho que colocar manualmente.

 


To Do List gigante e desorganizada

Simplesmente pegar um papel e escrever todos os meus afazeres não funcionou de forma mais eficiente possível para mim. Ficava coisa muito importante misturada com coisa não importante, coisa dispensável com coisa urgente... acabava ficando confuso e, com o tempo, a lista acabava ficando para lá. 

  


 
O que FUNCIONOU para mim

 

Planner com visão semanal

Em 2016 meu primeiro Desire Map Planner era o diário, isto é, uma página por dia. Era bárbaro ter muito espaço para escrever, mas sentia falta da visão geral da semana. Em em 2017 eu mudei pro Desire Map Planner semanal, layout que mantive no meu Happy Planner este ano.

 


Time Management Matrix de Stephen Covey

Este ano comecei a usar este método sobre o qual comentei no Post anterior (para saber mais sobre tudo que falo, é só você jogar os termos no Google. Se quiser ver em português, coloque o termo e “português” do lado; corra atrás daquilo em que deseja se aprofundar, faça sua própria pesquisa). Esse método está me ajudando demais, e este mês de janeiro foi de uma eficiência belíssima.

 



Menção honrosa:

Decorar o Planner

Isso aqui mudou o jogo para mim. E esses dias, quando estava pensando que queria compartilhar sobre o estabelecer objetivos, traçar planos e cumpri-los. Pensei no quanto essa coisa de decorar meu planner funcionava para mim, e lembrei das agendas da minha adolescência. Todo Natal eu e minhas amigas ficávamos ansiosas, aguardando se ganharíamos a tão cobiçada agenda da Pakalolo (se você viveu os anos 90, leu revista Capricho e assistiu Programa Livre, vai se lembrar hehehe). Na agenda colávamos adesivos, recortes de revista, ingresso de cinema, fotos e por aí vai. Na agenda também colocava das especiais e anotações sobre tarefas escolares, bem como provas e dias de entrega de trabalho. O fato é que eu usava a agenda o ano inteirinho! Depois disso, eu tentei usar agendas de novo, sobretudo na faculdade e no trabalho mas, olha, não vingava. Era muito chato e eu parava de usar. Dias e meses ficavam em branco e isso me desencorajava a usar a agenda. Então comecei a traçar um paralelo entre as agendas da Pakalolo e as minhas agendas que têm funcionado nos últimos anos e... BINGO! O que elas tem em comum é o fator decoração! O fato de eu decorar as páginas me faz voltar sempre ao planner, e isso é algo relaxante para mim, um hobby que tem a vantagem de ainda por cima me ajudar a concretizar meus sonhos. 

Em 2016 e 2017, para decorar meu Desire Map Planner, eu simplesmente comprava adesivos do Dollarama, que é a loja de 1 dólar aqui do Canada (tipo as lojas de 1,99 no Brasil, que nem sei se ainda existem) e nessa mesma loja eu comprava os chamados washi tape, que são como que durex decorados, mas fáceis de colar e descolar, se necessário. 

No final do ano passado eu comecei a ver o Happy Planner, pesquisei sobre e achei que se encaixaria no que gosto. O Happy Planner tem esse sistema de discos que eu amo (a gente tira e põe as páginas facilmente onde quiser e, usando o furador específico, podemos furar as folhas que quisermos e inseri-las no planner). Além disso tem extensões que ajudam em diferentes áreas, como fitness, finanças, cuidado do lar, alimentação, bem-estar, etc.

Aí você me fala “Ai, Rachel, mas aqui não tem esses planners, adesivos, washi para comprar / Fica muito caro para compra-los”, e eu te digo: faz com o que você tem acesso! Compre papel colorido, estampado, cole, use adesivos que encontrar, imprima e cole imagens que goste, recorte de revistas, use suas fotos, enfim. Use a criatividade de uma forma que ela te inspire - e não se prenda a nada, muito menos caia na besteira de se comprar com o que os outros estão fazendo: a comparação acaba com a alegria do processo. Use a inspiração e saiba que no processo você poderá aguçar sua própria criação (que é única), que se manifestará também em outras áreas da sua vida.

Quer dizer, em primeiro lugar precisa ver se decorar é para você. Umas pessoas decoram geral mesmo e outras decoram de um modo funcional, como eu: é decorado mas a prioridade é o planejamento. Outras pessoas simplesmente abominam isso, acham infantil, perda de tempo e por aí vai. Nesse caso é simples: não faça! 

Agora se você, assim como eu, adora material de papelaria, adesivos, canetas coloridas, etc, pode ser que você tire proveito deste método. O benefício é que planejar não é chato para mim, é parte de um hobby, é relaxante, é prazeroso, e encarar dessa forma está me fazendo ir pro meu terceiro ano consecutivo de estabelecer objetivos, traçar planos e cumpri-los. 

Neste ano sinto que alcancei uma excelência bacana nessa habilidade (o que não quer dizer que não haja espaço de sobra para ampliar e aperfeiçoar, ô se tem!), e percebo isso pelo tanto que já avancei na realização dos meus sonhos em janeiro, apenas fazendo o que compartilho com você neste post.

Em geral as pessoas precisam de apenas 1 planner. No meu caso neste ano, pela primeira vez, eu decidi usar 2 planners porque, além da vida pessoal, o meu trabalho demanda bastante planejamento, por eu ser a dona da minha empresa e cuidar de todas as partes do meu trabalho. Então na imagem abaixo você vê esses meus dois planners decorados (eu não tirei fotos dos planners depois de eu escrever neles porque o conteúdo é particular e/ou sigiloso, mas em geral tenho escrito com caneta preta).

Profissional

 

Pessoal

 


Uma dica final

 
Ao traçar seus objetivos, não trace zilhões. Trace de 3 a 10, no máximo. Cuide para que todos sejam extremamente importantes para você, que te desafiem. Em 2017 eu tracei 5 grandes e importantes objetivos, e destes alcancei 3. Esse é um bom sinal: se você alcançar todos os objetivos as chances são que você está jogando baixo se comparado com suas possibilidades; se você não alcançar nenhum significa que você está jogando alto demais ou – mais provável – que não adotou táticas diárias que te ajudaram a avançar na realização destes objetivos.

 


Espero muito que estes posts te ajudem e inspirem a planejar e executar! Feliz Planejando com Propósito: em dezembro de 2018 você ficará feliz por ter começado agora.

 


Beijos com Amor,

 

Rachel

 

PS1: se você tiver alguma técnica que mudou sua forma de traçar objetivos e planejar, compartilha comigo nos comentários do Instagram ou Facebook.

PS2: use esses meus posts como ponto de partida pro seu próprio método. Pesquise, corra atrás, saia da zona de conforto! Bora manifestar!

 

Inscreva-se na Lista VIP para receber Inspiração gratuita direto no seu e-mail.

Increva-se
Close

Inscreva-se na Lista VIP